JOVENS INFELIZES OU UM HOMEM QUE GRITA NÃO É UM URSO QUE DANÇA

 

YOUNG AND MISERABLE or  A MAN SCREAMING IS NOT A DANCING BEAR

JOVENS INFELIZES OU UM HOMEM QUE GRITA NÃO É UM URSO QUE DANÇA

 

YOUNG AND MISERABLE or  A MAN SCREAMING IS NOT A DANCING BEAR

 

( Longa ficcional, 127 min. 2016)

 

Direção, roteiro e montagem: Thiago B.Mendonça

Produção executiva: Renata Jardim

 

Assista ao trailer clicando aqui.

 

Sinopse: Pra começar de novo é preciso destruir.

 

Festivais e prêmios:

 

 

19ª Mostra de Cinema de Tiradentes - Troféu Barroco de melhor longa-metragem da Mostra Aurora pelo Júri da Crítica

 

Sobre o filme:

Primeiro longa-metragem do cineasta Thiago B. Mendonça, “Jovens Infelizes ou um Homem que Grita não é um Urso que Dança” foi o grande vencedor da 19ª Mostra de Cinema de Tiradentes, recebendo o prêmio do Juri da Crítica da Mostra Aurora. Produzido de forma independente e com um orçamento de apenas 40 mil reais, "Jovens Infelizes" é inspirado em um ensaio do diretor Pier Paolo Pasolini (1922-1955), no qual o autor faz uma crítica contundente aos horizontes fechados pelo fascismo de consumo, que assolava a geração italiana dos anos 70. Ao longo de seis sequências, narradas cronologicamente do fim para o começo, o filme desconstrói a trajetória artística e política de um grupo de jovens, que intensificam até o limite as relações entre arte e vida. Porém, com o passar do tempo, fica latente a impossibilidade de seu projeto de transformação frente a uma sociedade que, calcada no mercado e no consumo, apresenta-se cada vez mais repressiva e autoritária: um monstro disforme, demolidor de sonhos e utopias. Dentro de uma perspectiva em que o documental invade a narrativa, o filme busca inserir em seu universo ficcional a história do Brasil contemporâneo e seus conflitos. Rodado ao longo da Copa do Mundo de 2014, “Jovens Infelizes” acompanha de forma orgânica os protestos e a violenta repressão da polícia, trazendo reflexões críticas sobre os próprios limites da arte. Após rodar por diversos festivais nacionais e internacionais com seus premiados curtas-metragens, Thiago B. Mendonça dá sequência a um universo de pesquisa, em torno da marginalização de culturas e horizontes políticos autênticos. “Este é um filme espelho sobre minha geração e suas lutas. Sobre a forma como nos apropriamos da nossa cidade, das suas ruas e espaços. Como sentimos, amamos e lutamos num mundo de horizontes rebaixados”, afirma.

 

 

FICHA TÉCNICA

Direção, roteiro e montagem: Thiago B. Mendonça

Produção Executiva: Renata Jardim

Direção de Produção: Adriana Barbosa e Marco Escrivão

Direção de Fotografia: André Moncaio

Trilha Sonora: Kiko Dinucci

Direção de Arte: Bira Nogueira e Cris Pereira Rodrigues

Produção: Laura Calasans, Dráusio Mandia e Leandro Safatle

Assistente de Direção: Marco Escrivão e Amina Jorge

Câmera: Fernando Cirillo

Assistente de Câmera: Luis Augusto Moura e Ronaldo Dimmer

Iluminação Galpão do Folias: Lui Seixas

Eletricista: Sebastiao Otavio

Logger: Bruno Mello Castanho

Técnico de Som / Som Direto: Samuel Gambini

Assistente de Som: Valdilho Oliveira

Preparação de Elenco: Renan Rovida

Figurino e Maquiagem: Laura Calasans

Maquiagem de Efeitos Especiais: Joana Botelho

Coreografias: Amanda Santos

Elenco: Alex Rocha, Camila Urbano, Cel Oliveira, Clarissa Moser, Ieltxu Ortueta Martins, Rafaela Penteado, Renan Rovida

Elenco Secundário: Atílio Belini Vaz, Bira Nogueira, Carlos Francisco, Fernando Jardim, Givanildo Manoel, Helvio Tamoio, João Victor Coura, Kiko Dinucci, Leandro Safatle, Maria Isabel Mendonça, Nani de Oliveira, Selito SD, Stella Prata, Suzana Aragão, Val Pires, Vilma da Mota, Zé Antônio do Carmmo

 

 

Sobre o diretor:

Thiago B. Mendonça é diretor, roteirista e montador. Integra o Coletivo Zagaia e dirige o grupo de teatro Cia. do Terror. É roteirista de importantes diretores da nova geração como Adirley Queirós (Ceicine), Victor Furtado (Alumbramento), entre outros. Entre seus filmes estão “Minami em Close-up”, “A Guerra dos Gibis”, “Piove, il Film di Pio”, “O Canto da Lona” e “Entremundo”. “Jovens Infelizes ou Um Homem que Grita não é um Urso que Dança”, seu primeiro longa-metragem, estreou na Mostra de Cinema de Tiradentes, onde ganhou o prêmio da crítica da Mostra Aurora.

 

Filmografia como diretor:

- “Jovens Infelizes, ou um Homem que Grita não é um Urso que Dança” (ficção, 126min, DCP, 2016);

- “Procura-se Irenice” (documentário, 26min, DCP, 2016);

- “Entremundo” (documentário, 25min, DCP, 2015);

- “Esperando Gordão” (ficção, 9min, DCP, 2015);

- “Dia da Mentira” (documentário, 25 min, DCP, 2015);

- “O Canto da Lona” (documentário, 26 min, DCP, 2013);

- “A Guerra dos Gibis” (documentário, 19min, 35mm, 2012);

- “Piove, il Film di Pio” (documentário, 15min, 35mm, 2012);

- “Fora de Campo” (documentário, 52 min, HD, 2009), co-direção com Adirley Queirós;

- “Santa Efigênia e seus Pecados” (documentário, 26min, HD, 2009);

- “Minami em Close-up” (documentário, 18min, 35mm, 2008);